O polímata Gylberto Freire

Eu trabalhava no Diario de Pernambuco (1997) quando fiz essa ilustração do sociólogo Gilberto Freyre - pra uma matéria que o homenageava, em lembrança à data do seu nascimento, 15 de março. Desenho à lápis de cor crayon, a informatização engatinhava no setor de arte...

 

Dei uma olhadinha na Wikipédia e descobri que ele é um polímata. Sim, eu também não sabia o significado dessa palavra, e logo corri ao "pai dos burros", versão online:

 

Um polímata é uma pessoa cujo conhecimento não está restrito a uma única área. Em termos menos formais, um polímata pode referir-se simplesmente a alguém que detém um grande conhecimento em diversos assuntos.

 

Gilberto Freyre nasceu em Recife em 1900 e faleceu aos 87 anos. Sociólogo, antropólogo, ensaísta e historiador, dedicou-se à ensaística da interpretação do Brasil sob ângulos da sociologia, antropologia e história. Foi também autor de ficção, jornalista, poeta e pintor. É considerado um dos mais importantes sociólogos do século XX. 

 

Sobre Freyre, falou Monteiro Lobato: "O Brasil do futuro não vai ser o que os velhos historiadores disserem e os de hoje repetem. Vai ser o que Gilberto Freyre disser. Freyre é um dos gênios de palheta mais rica e iluminante que estas terras antárticas ainda produziram".

 

Outros polímatas brasileiros: José Bonifácio, Mário de Andrade, Joaquim Cardozo, Ruy Barbosa, Otto Maria Carpeaux.

Polímatas famosos: Leonardo da Vinci, Platão, Isaac Newton, Shakespeare, Albert Einstein... 

Please reload

SEÇÕES

Please reload

ARQUIVO DE POSTS

Please reload